17 novembro 2017

Programático é apenas o começo na Black Friday

||
0 Comentário
|
O próximo dia 24 tem tudo para ser a maior “sexta-feira negra” brasileira de todos os tempos. De acordo com dados da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), as vendas da Black Friday de 2017 serão 15% maiores do que a do ano passado.
Falar dos benefícios do programático para o e-commerce, principalmente nestas datas especiais, não é mais novidade nenhuma. O que pode ser novo para muitos é afirmar que o simples uso das plataformas de venda online não é garantia de vertiginosos aumentos de faturamento. Como seu uso se torna cada vez mais um fato comum, os detalhes farão a diferença.
Comecemos pelas dicas óbvias. Primeiramente, a página do e-commerce deve receber um timer com contagem regressiva até a Black Friday. Pode parecer uma ação acessória, mas não é. Conhece a expressão “Fear of Missing Out” ou FoMO? Citada pela primeira vez no ano 2000, pelo estrategista digital Dan Herman, ela é definida como o medo de ficar de fora das boas experiências que outras pessoas têm acesso. Na internet, esse receio incentiva a ficar sempre conectado. E nada melhor do que uma boa e velha contagem regressiva para criar ansiedade entre prospects e clientes.
A hora do dia em que seu anúncio estará circulando também é outro ponto importante, ainda que frequentemente ignorado. As palavras-chave de AdWords e os anúncios de search e display devem ser agendados de acordo com os padrões de busca do consumidor que se deseja alcançar. Embora isso possa variar, a regra geral é que neste período pré-Black Friday, os anúncios têm maior visibilidade se agendados para o período entre meio-dia e sete da noite, quando a maioria dos consumidores tem tempo disponível para fazer buscas.
Recursos de geolocalização são outro diferencial interessante para maximizar o faturamento durante a Black Friday, principalmente para lojas com representações físicas. A estratégia pode ser iniciada com o cadastro no Google Maps. Além disso, a segmentação por área demográfica aliada à compra de mídia programática é uma poderosa ferramenta de marketing digital, uma vez que permite a segmentação de usuários em tempo real. Quer impactar aquele consumidor que tem tudo para comprar a moto da sua empresa e que está fazendo uma visita à loja física do concorrente? A geolocalização permite fazer isso em tempo real.
É óbvio que se forem escolhidos recursos de mobile, é preciso contar com uma versão do e-commerce customizada para smartphones ou mesmo um aplicativo – talvez ambos. Já faz algum tempo que os apps deixaram de ser recursos exclusivos de grandes varejistas. Atualmente, há uma série de startups que desenvolvem aplicativos extremamente personalizados e a preços acessíveis. Uma simples busca no Google revela uma enorme variedade de opções.
E, finalmente, o mais importante: não prometer o que não pode ser cumprido. Atrasar datas de entrega pode gerar graves crises nas mídias sociais. Nada  mais desastroso para uma marca do que um cliente bradando pelo ciberespaço que uma empresa sabe vender, mas que não sabe entregar o produto ou serviço oferecido. Do mesmo modo, anunciar descontos altíssimos, mas ajustar para cima o valor de um produto alguns dias antes é subestimar a inteligência do consumidor e extremamente antiético, e espertinhos que se valem desse estratagema têm sido alvo de denúncias online e reportagens na mídia.
Em resumo, a Black Friday é uma excelente oportunidade de faturamento, se forem obedecidas algumas regras. A mais importante é centrar as estratégias de marketing no consumidor. Em cada um deles!
Publicado originalmente no Cliente SA

Deixe um Comentário